Santuário

Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem

08h30

11h
18h
20h
07h
18h15
07h
12h15
18h15
07h
12h15
18h15
07h
12h15
18h15
07h
12h15
18h
07h
18h15
Você está em:

A sua história teve início no século XVIII. Em 1709 o português Francisco Homem del Rey conseguiu autorização da Coroa, por meio de Cartas de Sesmarias, e se estabeleceu na região onde hoje se encontra Belo Horizonte. Ele trouxe uma imagem da padroeira dos navegantes portugueses, Nossa Senhora da Boa Viagem, que o acompanhou na travessia do Oceano Atlântico. Para proteger e homenagear a santa Francisco ergueu em suas terras uma pequena capela de pau-a-pique para abrigá-la. Erguida na rota dos tropeiros que passavam pela região transportando as riquezas do interior do país, a igrejinha recebeu o nome de Nossa Senhora da Boa Viagem e passou a ser conhecida, também, como a padroeira dos viajantes.

Com o passar dos anos e a enorme devoção dos fiéis a capelinha ficou pequena para receber tanta gente e, em seu lugar, foi erguida uma igreja maior. Entretanto, com a construção da nova capital houve a necessidade de se erguer uma nova igreja – a atual Catedral Nossa Senhora da Boa Viagem – a qual foi inaugurada em 1923, data em que a cidade de Belo Horizonte foi oficializada como arcebispado.

Ela abriga um conjunto arquitetônico, em estilo neogótico, que, de tão belo, dá graça ao ambiente paisagístico e arquitetônico de Belo Horizonte.  Ela tem um valor histórico, artístico e cultural que a torna um espaço de visitação e atração turística.  O conjunto da Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem é composto pela nave, a capela São Pedro Julião Eymard, a casa paroquial e o alojamento da adoração noturna.

A Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem é considerada o coração de Belo Horizonte. Um lugar especial de fé, devoção e adoração por ser, também, o Santuário Arquidiocesano de Adoração Perpétua, aberto 24 horas por dia recebendo a visita de romeiros das diversas regiões da cidade, da Região Metropolitana de Belo Horizonte e de turistas.

Sacramentinos

A Congregação do Santíssimo Sacramento foi fundada por São Pedro Julião Eymard, em 1856, e tem como intuito maior a apresentação da eucaristia e da hóstia consagrada. Ela coordena, através dos padres sacramentinos, a adoração perpétua e as atividades paroquiais desenvolvidas no Santuário Arquidiocesano de Adoração Perpétua – Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem.

Congregação do Santíssimo Sacramento

A Congregação do Santíssimo Sacramento é um instituto religioso da Igreja Católica, fundada no ano de 1856, em Paris, por São Pedro Julião Eymard. “Nosso ideal é viver plenamente o mistério da eucaristia e revelar sua significação, para que venha o reino de Cristo e se manifeste ao mundo a glória de Deus” (Regra de Vida, n º 1). São Pedro Julião também fundou as Servas do Santíssimo Sacramento; um ramo laical e clerical de associados, Agregação do Santíssimo Sacramento. Movidos pela força eucarística, os sacramentinos fundaram um ramo laical de instituto secular, o Servitium Christi. Trata-se de uma Congregação Apostólica, de direito universal (pontifício), composta de sacerdotes, diáconos e irmãos. Os sacramentinos estão presentes em vinte e nove (29) países, em todos os continentes. É organizada por Províncias e Regiões, com Governo Provinciais/Regionais e um Governo Central, em Roma (ver Cúria Geral).

A Congregação segue a Regra de Vida, atualização das Constituições de 1895, aprovada pela Santa Sé em 1984. O nome oficial da Congregação é “Congregatio Santissimi Sacramenti” e tem como sigla, que sempre segue depois dos nomes dos religiosos, SSS – Societas Santissimi Sacramenti.
Cenáculos e Apostolados. As casas religiosas ou conventos são chamadas de Cenáculos. A inspiração vem do santo fundador, São Pedro Julião Eymard. Ele desejava que cada Casa Sacramentina fosse testemunha do primeiro Cenáculo, aquela sala superior, preparada para celebrar a páscoa do Senhor.

A partir dos Cenáculos, os sacramentinos saem para espalhar o dom que receberam. O apostolado é rico, multiforme e fecundo: Paróquia, Santuário, Basílica, Serviço Social, dentre outros.

Província Nossa Senhora de Guadalupe

No início do século XX, os sacramentinos chegaram nas terras latino-americanas. Primeiro no Chile; depois na Argentina e, finalmente, no Brasil. Foram organizadas as Províncias, sendo que, na Argentina e no Chile conformou-se a Província Imaculada Virgem e, no Brasil, Santa Cruz. Depois de muita reflexão e estudos, decidiu-se unir as Províncias de Santa Cruz e Imaculada Virgem, sob o nome de Nossa Senhora de Guadalupe. O Capítulo de Unificação realizou-se no Brasil, na cidade de Belo Horizonte, em novembro de 2012.

Visite o site dos sacramentinos e conheça melhor a sua história: www.sacramentinos.com